quinta-feira, julho 09, 2009

Genesíaco

Silêncio de toda literatura
aqui começa o poema

Arde
fechado o mercado comum
onde o poema termina 

tarde

Poema impreciso
por nem ser preciso (tê-lo)
dado o completo (apelo)
de sua presença (rente)

Poema inconcluso
doce e confuso
desigual ruim
árido sol indefeso

Preso
sem paz
demente

Poema engasgado
a se esvair (de mim)

Poema ainda torto
beira do precipício
início do fim.

3 Comentários:

Às 9:22 AM , Blogger Marcos Bassini disse...

Esse eu até aplaudi.

 
Às 7:09 PM , Blogger Samuel Averbug disse...

Alo poeta, alô comanche! ...xô de bola!
Fala esse na Puc.

 
Às 12:34 PM , OpenID sousachet disse...

putz!!! adorei!

 

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial